09 setembro 2010

Harajuku, o que é para você?

Ontem durante o curso (Pesquisa, planejamento e desenvolvimento de coleção de vestuário) que estou fazendo na Escola de Belas Artes da UFMG, discutíamos mais uma vez sobre Moda e Comportamento. Duas coisas que não sobrivem separadas. Os psicólogos que o digam né?

Sabemos que os gostos de vestuário se relacionam com as atividades que temos durante o dia, nos finais de semana, as músicas que ouvimos, os livros que mais gostamos e tantos outros elementos que fazem parte da nossa vida. E uma das referências de moda quando se fala em local de estudo é a famosa HARAJUKU.

Para os mais antenados esse nome é bem familiar. Isso aí. É uma região no Japão onde os jovens se encontram vestidos de maneira totalmente exótica e simplismente ficam por ali para serem fotografados por turistas e até por eles mesmos.

Discutíamos se essa forma de manifestação deles não seria para se diferenciarem dos demais, já que os orientais se parecem muito fisicamente. Outros já falaram que é só para chamar a atenção mesmo. Não sei não viu, que é estranho é. Eu acredito na questão deles tentarem se diferenciar uns dos outros, mas acaba que com tanta ornamentação (mais parecendo carnaval) eles acabam ficando parecidos novamente.

Na região, ficam localizadas as lojas de departamentos e de marcas mais famosas. O que transforma realmente o local em um ponto de referência de moda.






Para se sintonizar:

Harajuku é o nome popular para a área ao redor da Estação Harajuku, na Linha Yamanote do Município de Shibuya em Tokyo, Japão. Esta área é conhecida principalmente como ponto de encontro de adolescentes, e é localização da loja de departamentos Laforet, que trabalha com a maioria das marcas famosas de moda jovem. Harajuku se tornou famosa nos anos 90 devido ao grande número de artistas de rua e jovens com roupas extravagantes que se reuniam lá aos domingos quando Omotesando ficava fechada ao trânsito. Isso terminou no fim da mesma década e o número de artistas, fãs de visual kei, rockabillies e punks diminuiu gradativamente desde então. Outro centro da moda chamativa de Harajuku são as gothic lolitas entre as subdivisões do estilo. Mas também se concentram outros como, decoras, Visual kei, e jovens com suas próprias invenções.

Perto da estação de trem há o Templo Meiji, que é famoso pelo grande número de pessoas que o visitam todo ano, assim como o Parque Yoyogi. Também localizam-se perto dali a Rua Takeshita, uma rua repleta de butiques de moda e outros produtos voltados principalmente para o público jovem/adolescente, e Omotesando, uma rua longa com cafés e butiques caras, populares tanto entre moradores quanto turistas. Recentemente, a área conhecida como "Ura-Hara" (travessas de Harajuku) ficou conhecida pelas grifes independentes de moda casual. Os estilos mais arrojados são expostos globalmente em revistas como a FRUiTS. Lugares importantes da região incluem a central da NHK. As ruas ficam lotadas nos fins-de-semana, quando jovens se reúnem para fazer compras e sair com os amigos.

Harajuku é uma localização icônica bastante popular no mundo do entretenimento, dentro e fora do Japão. A cantora estado-unidense Gwen Stefani faz referência a Harajuku em algumas de suas músicas e inclui quatro dançarinas vestidas como "Garotas de Harajuku" em segundo plano em suas apresentações. Uma edição especial de Takeshi's Castle (conhecido MXC nos Estados Unidos) continha uma cena filmada na estação, em que Hayato Tani (ou "Captain Tenneal") dá um de seus discursos de encorajamento para os competidores. O músico e produtor brasileiro Astronauta Pinguim também faz referência ao local, em uma música do seu novo album, Supersexxxysounds. A música chama-se "Harajuku, here we go!" Outra referência é feita na música I'm A Cuckoo do grupo Belle and Sebastian onde aparece "And watch the Sunday gang in Harajuku" .







Algumas dicas de como se vestir no estilo de Harajuku?

Misture diferentes tendências. Em Harajukku, misturar estilos diferentes e cores e padrões que não combinam são práticas encorajadas - você pode fazer o que quiser, enquanto sua vestimenta for a expressão sincera de sua individualidade.

Familiarize-se com as variações de estilo no distrito Harajuku. É impossível apontar um só estilo em Harajuku. Muitos estilos se originaram ou se desenvolveram nas ruas de Harajuku, e muitas garotas (e garotos) de lá integram um ou mais destes estilos em suas roupas.

Vista-se em camadas. Uma das marcas de Harajuku é a sobreposição. Casacos, vestidos, jaquetas sobre camisetas ou blusas, vestidos com calças, e por aí vai. Vestir roupas em camadas (ou dar a aparência de camadas ao usar roupas com babados, por exemplo) permite que você misture uma grande variedade de estilos, o que dá mais dimensão a sua vestimenta.

Personalize suas roupas. Roupas de segunda mão e estilos pessoais são ingredientes comuns em uma roupa de Harajuku. Gostou daquela saia florida, mas acha que ela vai ficar mais bonita com uma fita presa, dando uma linha de cintura mais irregular? Pegue a tesoura e faça suas roupas únicas. Ou vá adiante, e faça suas próprias roupas. Cortar o tecido para dar ângulos e decotes ousados pode fazer até um vestido preto básico parecer divertido e marcante.









Eu já havia feito um post sobre a moda asiática há algum tempo atrás, mas isso vem me atormentando esses dias. E ai, o que vocês acham que é essa reação em Harajuku?

6 comentários:

  1. Nossa....
    Muito estranho mesmo!!! ôxe...
    Parece festa à fantasia. hahaha
    E tu toda antenada aí fazendo cursos e tal... Quero ser feito vc quando crescer.
    :)
    Beeeeeeeeijos

    ResponderExcluir
  2. eu ja ocnhecia esse estilo... eu acho fofinho!
    mas acho mto over...

    que curso chique hein?!!? =)

    beijosss Li!

    ResponderExcluir
  3. Acho muito bonitinho, mas não muito prático. Acho legal também que dá pra pegar algumas referências e montar looks em cima destes.
    bjos

    ResponderExcluir
  4. è bem legal esse estilinho, mais pra usar em festas, pra usar direto nem rola kkk
    http://vaidadesdemeninas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. ah menina eu adoro essa moda asiatica, tenho dois livros com imagens otimas. no passado quando eu era mais novinha me inspirava mais, hoje em dia ainda tiro umas ideias , mas com bem mais cautela
    beijos

    Manu


    http://ambientevistoriado.com/

    ResponderExcluir

Obrigada por mergulhar comigo! Este é um espaço democrático para falar sobre coisas boas!